Quando se pensa em iluminação de grande áreas ou iluminação urbana não é possível que sejam usadas as lampadas incandescentes ou mesmo as fluorescentes, estas possuem um poder de iluminação limitado quando se fala em grandes áreas. Neste sentido é importante conhecer as lampadas de descarga em alta pressão e como elas funcionam.

Seu princípio de funcionamento completamente diferente das lâmpadas incandescentes: uma alta descarga elétrica entre os eletrodos leva o gás interno do bulbo se ionizar, através da passagem de corrente elétrica por esse gás ionizado acontece a emissão de luz.

Seu funcionamento sé da através do uso de reatores, estes são responsáveis pela alta descarga necessária para ionizar o gás interno. Alguns tipos de lâmpadas de alta pressão necessitam de 2 a 15 minutos entre a partida e a estabilização total do fluxo luminoso.

Reator para lâmpadas vapor metálico.

Reator para lâmpadas de descarga de alta pressão.

São lâmpadas que combinam iodetos metálicos, com altíssima eficiência energética, excelente reprodução de cor, longa durabilidade e baixa carga térmica. Sua luz é muito branca e brilhante. Tem versões de alta potência (para grandes áreas, têm índice de reprodução de cor de até 90%, eficiência energética de até 100lm/W e temperatura de cor de 4.000 a 6.000K, em vários formatos) e de baixa potência (de 70 a 400W, formato tubular com diversas bases, apresentando alta eficiência, ótima reprodução de cor, vida útil longa e baixa carga térmica); Seus tipos são:

  • Vapor de sódio – com eficiência energética de até 130lm/W, de longa durabilidade, é a mais econômica fonte de luz. Com formatos tubulares e elipsoidais, emitem luz branca dourada e são utilizadas em locais onde a reprodução de cor não é um fato importante, como em estradas, portos, ferrovias e estacionamentos;
  • Vapor de sódio branco – seu diferencial é a emissão de luz branca, decorrente da combinação dos vapores de sódio e gás xênon, resultando numa luz brilhante como as halógenas ou com aparência de cor das incandescentes. Acionadas por reatores eletrônicos. Com excelente reprodução de cor, são utilizadas em áreas comerciais, hotéis, exposições, edifícios históricos, teatros, stands, etc.;
  • Vapor de mercúrio – com aparência branca azulada, eficiência de até 55lm/W e potências de 80 a 1.000W, são normalmente utilizadas em vias públicas e áreas industriais;
Lâmpada de vapores metálicos

Lâmpada de descarga de alta pressão.

Entre as maiores vantagens das lâmpadas de alta pressão estão a vida útil extremamente longa e a grande qualidade da luz produzida, entre as desvantagens a principal é o preço extremamente alto e a necessidade se ser conectada por reatores que possuem um peso considerável. Este peso deve ser levado em consideração para o cálculo de estruturas que irão suportar muitas lâmpadas de alta pressão.

Outro fator que deve ser levado em consideração é a distância entre as lâmpadas e os respectivos reatores, pois a medida que aumenta-se a distancia haverá uma queda de tensão que pode comprometer a ignição da lâmpada de alta pressão.

As lâmpadas de luz mista de vapor de mercúrio dispensam o uso de reatores, o que facilita sua instalação em compensação possuem uma vida útil muito menor que as acionadas por reatores.

Aviso legal

Todas as informações obtidas neste site e páginas de redes sociais relacionadas a ele são apenas de caráter INFORMATIVO. O Mundo da Elétrica NÃO se responsabiliza por nenhum dano ou prejuízo causado pela execução de ações relacionadas ou não ao conteúdo descrito aqui. Procure sempre um profissional qualificado, sigas as normas e utilize os equipamentos de proteção para qualquer trabalho que envolva eletricidade.

9 comentários para “O que são lâmpadas de descarga em alta pressão?”

  1. Alex

    Interessante conhecer sobre as lâmpadas. Eu não sabia das diferenças básicas entre elas. Uma coisa me chamou a atenção foi a eficiência luminosa. Até quantos lúmens é possível “extrair” de 1W de energia elétrica? Quantos lm/W têm as lâmpadas domésticas? E as mais eficientes existentes, saberia me dizer?

    Responder
  2. Michel Soares

    Parabéns pelo artigo! Muito objetivo e abrangente!

    Responder
    • Henrique Mattede

      Obrigado pela mensagem.
      Se ainda não nos segue, não deixe de se inscrever em nosso canal no youtubehttp://goo.gl/0a6d9A
      Veja nossos vídeos e nos ajude com a divulgação.

      Responder
  3. Lauro de Avila.

    Shou de bola abraço a toda equipe mundo da eletrica.

    Responder
    • Equipe Mundo da Elétrica

      Obrigado Lauro!

      Responder
  4. Anderson

    Parabéns pelo artigo muito bem explicado continue sempre assim compartilhando conhecimento obrigado

    Responder
    • Equipe Mundo da Elétrica

      Obrigado Anderson! Ficamos felizes que tenha gostado!

      Responder
  5. Marcio

    Muito boa matéria.gostaria de saber qual a diferença entre lâmpadas metálica HPI e HQI?

    Responder
    • Equipe Mundo da Elétrica

      Sua dúvida é muito boa, irei anotar e fazer um material em breve para ajudar a esclarecer sua dúvida.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)