Disjuntor para motor trifásico, como dimensionar?

Em Comandos Elétricos por Henrique Mattede

O motor elétrico trifásico é um equipamento de grande importância na indústria, e saber dimensionar o circuito que o compõe é essencial para um bom profissional. Pensando nisso, o Mundo da Elétrica irá te ensinar como dimensionar o disjuntor para motor trifásico. Então, vamos lá pessoal!

A NBR 5410 é a norma que trata especificamente de circuitos que alimentam motores em aplicações industriais e similares normais.

São consideradas aplicações industriais e similares normais aquelas que envolvem motores de indução com rotor de gaiola e motores de potência nominal unitária não superior a 150kW, operados em regime S1.

Entretanto, são excluídas as aplicações de motores com potência não superior a 1,5kW, que acionem aparelhos eletrodomésticos e eletroprofissionais.

Assume-se que as características dos motores, bem como do regime S1, são aquelas definidas na ABNT NBR 7094.

No regime contínuo S1, o motor aciona uma carga constante durante um tempo suficientemente longo para atingir sua temperatura de equilíbrio térmico. Os exemplos mais comuns de máquinas que trabalham em regime S1 são os ventiladores, exaustores, compressores de ar, bombas de alimentação de caldeiras a vapor, bombas de movimentação de produtos nas indústrias químicas e refinarias.

Além disso, a NBR 5410 estabelece:

Na imagem abaixo, é possível observar os elementos que devem ser considerados em um circuito terminal de motor, destacando as funções exercidas pelos dispositivos.

Como dimensionar disjuntor para motor trifásico.

Elementos de um circuito terminal de motor.

A proteção contra correntes de curto-circuito deve ser feita utilizando dispositivos de proteção específicos para essa finalidade, geralmente, são utilizados fusíveis e disjuntores!

Como dimensionar disjuntor para motor trifásico

Para dimensionar o disjuntor, a primeira coisa a se fazer é descobrir a corrente do circuito através da sua potência!

A potência aparente, em VA, é mais adequada e para isso é necessário saber o fator de potência do circuito em questão, como pode ser visto na imagem abaixo.

Como dimensionar disjuntor para motor trifásico.

Fórmula da potência aparente.

Sabendo a potência aparente, em VA, para o circuito trifásico e seguindo a equação da imagem abaixo, é possível descobrir a corrente (In) do circuito trifásico.

Como dimensionar disjuntor para motor trifásico.

Corrente nominal para circuito trifásico.

Logo após, é necessário saber qual a capacidade de condução de corrente real dos condutores utilizados no circuito, seguindo os seguintes passos:

Ao descobrir esses valores, é preciso multiplicá-los para obter a capacidade de condução de corrente real (Ir). Sabendo a corrente nominal do circuito (In) e a capacidade de corrente real (Ir), teremos a corrente do disjunto (Id), como pode ser visto na imagem abaixo.

Como dimensionar disjuntor para motor trifásico.

Fórmula da corrente do disjuntor.

Portanto, chegamos que a corrente do disjuntor (Id) será: In<Id<Ir, além disso, a capacidade de interrupção do disjuntor deve ser superior ou, pelo menos, igual à corrente nominal de curto-circuito calculada.

Outro ponto importante é estar atento às curvas de atuação do disjuntores, e nós do Mundo da Elétrica já ensinamos tudo sobre esse tema!

Além do mais, existem diversas tabelas de disjuntores que podem ser consultadas e que facilitam muito na hora no dimensionamento, elas podem incluir aspectos como corrente, potência, tensão, distância entre cargas, seção nominal e tipo de curva!

Para que o circuito do motor seja eficiente, deve existir uma coordenação entre os dispositivos de proteção contra curto-circuito e contra sobrecarga! Assim, a corrente que provoca a atuação do disjuntor, ou dos fusíveis, deve ser suficientemente elevada de modo a não ocasionar uma intervenção em caso de sobrecarga, bem como suficientemente baixa a fim de evitar danos aos contatores e relés em situação de curto-circuito.

Um disjuntor muito utilizado nos circuito de motores é o disjuntor motor, ele foi desenvolvido e melhorado ao longo do tempo para oferecer uma proteção completa contra todas essas falhas elétricas em apenas um dispositivo. Para aprender mais sobre ele, recomendamos que você assista o vídeo abaixo do canal Mundo da Elétrica!

Esperamos que tenha gostado deste artigo, e basta nos seguir nas redes sociais para continuar aprendendo sobre elétrica e acessar conteúdos exclusivos! Se tiver ficado alguma dúvida sobre o assunto ou alguma sugestão, não se acanhe e deixe aqui nos comentários para podermos te ajudar.

Sobre o autor

Autor Henrique Mattede

Eletricista desde 2006, Henrique Mattede também é autor, professor, técnico em eletrotécnica e engenheiro eletricista em formação. É educador renomado na área de eletricidade e um dos precursores do ensino de eletricidade na internet brasileira. Já produziu mais de 1000 videoaulas no canal Mundo da Elétrica no Youtube, cursos profissionalizantes e centenas de artigos técnicos. O conteúdo produzido por Henrique é referência em escolas, faculdades e universidades e já recebeu mais de 120 milhões de acessos na internet.

Aviso legal

Todas as informações obtidas neste site e páginas de redes sociais relacionadas a ele são apenas de caráter INFORMATIVO. O Mundo da Elétrica NÃO se responsabiliza por nenhum dano ou prejuízo causado pela execução de ações relacionadas ou não ao conteúdo descrito aqui. Procure sempre um profissional qualificado, sigas as normas e utilize os equipamentos de proteção para qualquer trabalho que envolva eletricidade.

Deixe um comentário