Você conhece algum equipamento de proteção coletiva? Neste artigo do Mundo da Elétrica vamos falar sobre a importância da implementação dos EPC e mostrar alguns desses equipamentos. Vamos lá pessoal!

Do escritório ao campo, todos os tipos de atividades estão sujeitas à algum tipo de risco. Para minimizar ou zerar os riscos presentes nos ambientes de trabalho, existem duas categorias de equipamentos de proteção, o individual e o coletivo.

Os equipamentos de proteção individual também chamados de EPIs, são aqueles que protegem especificamente um trabalhador por vez. Alguns exemplos de equipamentos de proteção individual são as luvas de proteção, óculos, botina de borracha, uniforme, abafador sonoro e o capacete de proteção.

Já os equipamentos de proteção coletiva também chamados de EPCs, são aqueles que tem como objetivo minimizar ou reduzir os riscos que um grupo de profissionais estão expostos. Os EPCs são obrigatoriamente fornecidos pelo empregador e devem ser escolhidos de acordo com o tipo de atividade exercida no local.

A norma regulamentadora NR 09 frisa que as empresas devem priorizar o uso da proteção coletiva, tornando a utilização dos EPIs necessária somente se os EPCs forem inviáveis ou não fornecerem a completa segurança para os trabalhadores.

Muitas vezes, os equipamentos de proteção coletiva são vistos como mais eficazes do que os equipamentos de proteção individual. Isso porque o EPI depende da exclusiva responsabilidade do trabalhador, enquanto o EPC é acessível por todos os trabalhadores e implantado pelo empregador.

O que são equipamentos de proteção individual?

Equipamentos de proteção coletiva

Exemplos de equipamento de proteção coletiva

Existem muitos tipos de equipamentos de proteção coletiva! A escolha de cada um para o ambiente de trabalho depende de uma análise de risco, que levantará quais são os riscos que o grupo de trabalhadores estará exposto no decorrer da execução de cada atividade.

A seguir falaremos um poco sobre alguns dos mais populares equipamentos de proteção coletiva:

  • Fitas zebradas e cones: podem indicar uma barreira para o acesso das pessoas no meio ou como sinalização.
  • Alarmes: os alarmes podem ser sonoros e/ou visuais, podendo sinalizar o funcionamento de determinada máquina que oferece risco ou também como um alerta sobre as condições de trabalho.
  • Guarda corpo e corrimão: usados geralmente em construções para evitar a queda de trabalhadores e de objetos que podem atingir as pessoas presentes no local.
  • Extintores de incêndio: presentes em praticamente todos os tipos de ambiente de trabalho, devem estar bem localizados, passando por revisões e estarem dentro da data de validade.
  • Exaustores: Os exaustores são utilizados para retirar gases e vapores produzidos durante a execução das atividades na empresa.
  • Placas sinalizadoras: as placas são orientações, que podem ser fixas ou temporárias. Uma placa de piso molhado é um bom exemplo de placa temporária, já uma placa alertando sobre o uso de abafadores de som em determinado ambiente é um exemplo de placa fixa.
  • Piso antiderrapante: o piso seguro no ambiente de trabalho é aquele que oferece a adequada aderência aos calçados utilizados pelos trabalhadores naquele ambiente.
  • Enclausuramento: fazer o enclausuramento das máquinas e equipamentos barulhentos reduz a poluição sonora do ambiente de trabalho.
  • Kit de primeiros socorros: deve estar presente em todo o tipo de ambiente de trabalho e deve possuir itens básicos que auxiliarão no socorro dos trabalhadores do local.
  • Detectores de fumaça ou Sprinkles: bastante empregados nos mais diversos locais de trabalho, atuam na prevenção contra incêndio.

A adoção de EPC tem custos baixos e os equipamentos adotados são utilizados a longo prazo, pelo fato de serem instalados no local e ali permanecerem. Além de protegerem os trabalhadores, os equipamentos de proteção coletiva protegem também qualquer pessoa que eventualmente esteja no ambiente.

A NR 09 deixa claro a obrigatoriedade por parte do empregador em fornecer e implantar as medidas de proteção coletiva e individual. O não cumprimento desta obrigatoriedade pode acarretar em graves multas, ainda mais se acontecer na empresa, algum tipo de acidente que poderia ser evitado pela utilização de EPCs.

Como dito anteriormente, todos os ambientes de trabalho oferecem algum tipo de risco ao trabalhador. No vídeo a seguir do Mundo da Elétrica, falamos especificamente sobre o risco do trabalho em altura e quais são as recomendações da NR 35 para este trabalho.

Gostou de aprender sobre os equipamentos de proteção individual? Deixe a sua opinião nos comentários e continue no Mundo da Elétrica para aprender mais sobre diversos assuntos.

Aviso legal

Todas as informações obtidas neste site e páginas de redes sociais relacionadas a ele são apenas de caráter INFORMATIVO. O Mundo da Elétrica NÃO se responsabiliza por nenhum dano ou prejuízo causado pela execução de ações relacionadas ou não ao conteúdo descrito aqui. Procure sempre um profissional qualificado, sigas as normas e utilize os equipamentos de proteção para qualquer trabalho que envolva eletricidade.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)