O Mundo da Elétrica explica neste artigo sobre o funcionamento do sensor infravermelho, vamos entender como funciona o sensor de barreira infravermelho e sua instalação. Vamos falar do papel que o sensor de infravermelho representa no mercado de segurança e a importância desses sensores, além das diversas aplicações do sensor de alarme. Então vamos lá pessoal!

Sensores

Sensores são dispositivos capazes de detectar e responder estímulos, sejam eles por calor, pressão, movimento, luz, entre outros. Além de desempenharem funções como emitir sinais de comando para outros componentes, podem ser interpretados por microprocessadores e ter seus sinais convertidos para dispositivos.

É preciso avaliar as condições do ambiente, para optar pelo sensor mais adequado para atividade que será desempenhada. Um exemplo muito utilizado é o sensor térmico, ele fornece uma resposta quando é submetido à uma mudança de temperatura. Existem vários tipos de sensores térmicos e aplicações para o mesmo.

Os sensores infravermelhos são muito utilizados, seja em aplicações de movimento, comparação ou até mesmo como leitores. Ele usa a luz infravermelha, que é uma radiação eletromagnética que interage em baixa frequência, sendo menor que a da luz vermelha, está fora do espectro eletromagnético da nossa visão. Por isso, esse tipo de radiação não pode ser detectada pelo olho humano.

 Sensores, Sensor de alarme, sensor de infravermelho

Funcionamento do sensor infravermelho

Sensor de infravermelho

Vamos ver aqui os tipos de sensores infravermelho. Sendo sensor infravermelho ativo e infravermelho passivo.

O sensor infravermelho ativo irradia um feixe de luz infravermelha e também tem a função de receptor, desse mesmo tipo de luz. Em um sensor de alarme, por exemplo, quando acontece uma movimentação no ambiente, ocorre uma variação da luz infravermelha, permitindo que o sensor acione o alarme.

Já os sensores infravermelhos passivos não emitem luz infravermelha, possuem apenas a função única de receber o sinal luminoso, detectando calor no ambiente. O sensor de presença é um exemplo disso. Utilizado em residências para acender as luzes quando é identificada uma aproximação, através do calor que é emitido do corpo de uma pessoa. O sensor de infravermelho detecta o calor e não a luz, o que possibilita seu funcionamento no período noturno, pois ele independe da luz em espectro visível.

Os sensores passivos podem ser ligados diretamente a uma central de alarme ou podem ser instalados sem fios, tendo sua fonte de alimentação ligada a uma bateria e transmitir os dados através de ondas de rádio.

Sensor de barreira infravermelho

É bem comum usar esse tipo de equipamento na prevenção de atos criminosos, mas além do uso em segurança, o sensor de barreira infravermelho também pode ser usado para fins de acionamento de cancelas, abertura de portões automáticos, contagem de pessoas e controle de entrada e saída de eventos, por exemplo.

O sensor de barreira infravermelho é um equipamento que detecta movimento e funciona através de um transmissor e um receptor que emitem feixes de luz. Os sensores podem ser instalados em vários lugares, como em tetos, muros e portões. E possuem modelos com um, dois ou múltiplos feixes de luz, invisíveis a olho nu.

Quando um objeto passa em sua linha de alcance, é feita uma leitura verificando a variação de temperatura, se estiver entre 36,5 ºC e 40 ºC, valores próximos aos emitidos pelo corpo humano, o alarme será disparado. Por esse motivo esses sensores são tão utilizados em segurança patrimonial, são discretos e muitas vezes passam despercebidos.

Seu amplo poder de detecção de presença é o seu ponto forte. A sua cobertura ambiente chega próximo de 120º e a distância de detecção é de até 15 metros, seu alcance e sensibilidade permitem adaptar sua utilização em vários ambientes, como áreas fechadas, semiabertas e externas.

Têm dois níveis de sensibilidade com alta precisão em detectar invasões, mesmo em locais de muita variação de temperatura. Além de possuir uma proteção contra luz branca e raios UV, sendo possível ter lâmpadas fluorescentes e também iluminação natural sem que o alarme seja disparo sem necessidade.

Características do sensor infravermelho

Os sensores infravermelhos possuem duas maneiras de operação em circuitos de segurança. A detecção por reflexão, onde um sinal de radiação infravermelha é emitido e um objeto é usado como refletor rebatendo o sinal para um receptor. Nesse caso, o sinal tem maior intensidade quando está mais próximo do objeto refletor. E a segunda maneira de operação é a detecção por Interrupção, onde o emissor de sinal infravermelho e o receptor são instalados na mesma direção, com os sentidos opostos, assim, ocorre à detecção se o sinal infravermelho for ultrapassado por algo.

Os sensores infravermelhos podem ser térmicos ou quânticos. O sensor térmico detecta o calor transportado pela radiação infravermelha. O sensor quântico, opera de acordo com a liberação de temperatura que ocorre quando a radiação atinge uma superfície.

Os sensores infravermelhos têm lentes do tipo Fresnel, que permite melhor qualidade e distanciamento dos feixes de luz, os sensores possuem um LED interno que acende quando houver uma invasão do ambiente.

Alguns tipos de sensores possuem detecção por micro-ondas, captando de maneira mais precisa movimentos no ambiente. Também podem ter uma função de anti-mascaramento, que identifica bloqueios acidentais ou com o propósito de enganar o sistema. Alguns possuem funções contra disparos desnecessários como a função PET, evitando que a presença de pequenos animais dispare o alarme.

Dicas de instalação

Aqui vão algumas dicas de instalação e cuidados para manter em boas condições, para que o monitoramento de segurança seja sempre preservado.

  • A altura de instalação recomendada é de 2 m a 2,5 m
  • A instalação deve ser feita longe de superfícies refletoras, fontes de luz infravermelha ou locais de mudanças bruscas de temperaturas, por exemplo de janelas, ventiladores ou aquecedores.
  • Mantenha o ambiente limpo e livre de insetos que possam fazer ninho nos equipamentos
  • Fique atento ao posicionamento de plantas e objetos próximos a instalação
  • Nunca faça improvisações em suas ligações elétricas
  • Projetar os cabos da instalação em tubulações adequadas
  • Monitore o nível de energia da bateria de emergência, caso falte energia isso não será um problema
  • Não instale o sensor onde animais de estimação tenham livre acesso

Agora que você aprendeu sobre sensor infravermelho, separamos esse vídeo do canal Mundo da Elétrica falando um pouco sobre tipos de sensores, vale a pena conferir!

Aproveite os materiais que disponibilizamos em nosso canal e caso tenha alguma dúvida ou sugestão, é só deixar nos comentários que nós iremos responder. Acesse e se inscreva no canal do Mundo da Elétrica para continuar aprendendo sobre elétrica.

Aviso legal

Todas as informações obtidas neste site e páginas de redes sociais relacionadas a ele são apenas de caráter INFORMATIVO. O Mundo da Elétrica NÃO se responsabiliza por nenhum dano ou prejuízo causado pela execução de ações relacionadas ou não ao conteúdo descrito aqui. Procure sempre um profissional qualificado, sigas as normas e utilize os equipamentos de proteção para qualquer trabalho que envolva eletricidade.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)