Você sabe o que é indutância? Para entender melhor essa grandeza física denominada indutância é preciso conhecer suas características e seu comportamento nos circuitos elétricos. Conheça os tipos de indutores, como ler o valor da indutância presente nos indutores comercializados, verificar testes de curto-circuito ou de circuito aberto nos terminais dos indutores e as aplicações dos indutores nos diversos segmentos do comércio e indústria.

Definição de indutância

A passagem de corrente elétrica em um condutor retilíneo, por exemplo, o cabo elétrico de sua residência, é capaz de produzir um campo magnético ao seu redor. Ao utilizar um condutor de cobre no formato de espiras é possível determinar uma grandeza física existente nos dispositivos denominados de indutores, tal grandeza recebe o nome de indutância.

A variação da corrente elétrica no indutor provoca  mudanças no fluxo das linhas de campo magnético que atravessam as espiras, e consequentemente, surge uma diferença de potencial entre os terminais da bobina. É importante que você entenda que somente utilizando uma corrente alternada, ou abrindo e fechando uma chave em um circuito elétrico é possível gerar essa diferença de potencial no indutor. Sendo assim, em circuitos de corrente contínua pura, essa variação de corrente não ocorre, e o indutor passa a se comportar como um curto-circuito no regime permanente. A equação que relaciona essas grandezas é:

FEM induzida, equação que relaciona as grandezas citadas artigo.

Força eletromotriz (FEM) induzida

Onde:

∈: É a diferença de potencial nos terminais da bobina

L: Indutância medida em Henry (H)

Δi/Δt: É a variação da corrente elétrica no tempo

Características da indutância

A indutância depende das características geométricas da espira, isto é, a indutância depende do raio, do número de voltas, e da permeabilidade do material que preenche o núcleo do indutor. É importante ressaltar que para se aumentar a intensidade da indutância em uma bobina, pode-se optar por elevar o número de voltas das espiras, ou mesmo aumentar a área do núcleo do indutor.

Tipos de indutores

Assim como os resistores e capacitores, os indutores podem ser definidos como fixos ou variáveis. Os indutores fixos são fabricados em várias formatos e tamanhos, em geral, o tamanho de um indutor é dependente do tipo de construção, especificação da corrente e as características do núcleo utilizado.

Os indutores fixos apresentam indutância específica de acordo com o modelo de fabricação. São exemplos os indutores com núcleo de ar, ferrite entre outros.

Alguns exemplos de indutores fixos.

Ao se utilizar o indutor com núcleo de ferrite, é possível aumentar a indutância em comparação aos indutores do mesmo tamanho, porém, com núcleos produzidos com outros materiais. Já os indutores variáveis, como o próprio nome diz, permitem variar a sua indutância, ou seja, esses dispositivos possuem fendas nas extremidades do núcleo, e ao serem giradas no sentido interno  do núcleo, fazem com que haja interação do núcleo ferromagnético, elevando assim, a intensidade do campo magnético e o nível de indutância.

Os indutores variáveis permitem a variação da indutância por meio de uma fenda localizada na extremidade do núcleo.

Indutor com indutância variável.

Rotulação e testes de indutores

Alguns indutores possuem dimensões elevadas e sua identificação é impressa no corpo do dispositivo. Todavia, alguns indutores são bem menores e não há espaço para a impressão dessa identificação. Dessa forma, para os indutores moldados é utilizado um código de cores semelhante ao que é usado para os resistores.

Para se medir ou mesmo testar um indutor é aconselhável o uso de um medidor de indutância, porém, caso não seja possível obtê-lo, pode-se utilizar um ohmímetro para verificar por exemplo, se existe um curto entre os enrolamentos ou mesmo um circuito aberto.

Na leitura de um circuito aberto o ohmímetro apresenta o valor de resistência elevado ou infinito, por sua vez, em um curto-circuito a verificação se torna mais complicada, visto que alguns indutores possuem a resistência do enrolamento relativamente pequena. O curto existente entre os enrolamentos e o núcleo pode ser visto colocando-se um fio do ohmímetro na espira e o outro no núcleo, com isso, o ohmímetro irá indicar uma leitura de zero ohms.

Você sabe medir a continuidade de cabos com o multímetro? O vídeo abaixo irá lhe ensinar a utilizar corretamente o multímetro para a medição de continuidade de cabos!

Aplicações dos indutores

Indutores de núcleo de ar: Aplicações de alta frequência;

Indutores do tipo toroidal: Usado em linhas de transmissão para filtrar transitórios e reduzir interferências eletromagnéticas, aplicados em vários eletrodomésticos;

Indutores tipo cilíndrico: Usado em linhas de transmissão de alta corrente;

Indutores tipo linha de retardo: Utilizado em receptores de televisão em cores, para correção de diferenças de tempo entre os sinais de cor;

Indutores do tipo cilíndrico de modo comum: Usado em filtros de linha CA, e carregadores de baterias.

Esperamos que tenham entendido a diferença dos principais tipos de indutores e as aplicações desse dispositivo nas diversas áreas da eletrônica. Se tiver permanecido alguma dúvida sobre este assunto, deixe nos comentários que teremos o prazer de respondê-los!

Aviso legal

Todas as informações obtidas neste site e páginas de redes sociais relacionadas a ele são apenas de caráter INFORMATIVO. O Mundo da Elétrica NÃO se responsabiliza por nenhum dano ou prejuízo causado pela execução de ações relacionadas ou não ao conteúdo descrito aqui. Procure sempre um profissional qualificado, sigas as normas e utilize os equipamentos de proteção para qualquer trabalho que envolva eletricidade.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)