Um bom aterramento garante segurança e estabilidade para a instalação elétrica, além de facilitar a manutenção, pois proporciona ao profissional uma maior segurança sobre o serviço que o mesmo está executando. Segundo a ABNT, aterramento elétrico significa colocar instalações e equipamentos em um mesmo potencial elétrico, de modo que a diferença de potencial entre a terra e o equipamento seja o mais próximo de zero possível.

Dentre as principais funções do aterramento elétrico, podemos citar: Proteger o usuário do equipamento das descargas atmosféricas, através da viabilização de um caminho alternativo para a terra, de descargas atmosféricas; “Descarregar” cargas estáticas acumuladas nas carcaças das máquinas ou equipamentos para a terra; Facilitar o funcionamento dos dispositivos de proteção ( fusíveis, disjuntores, DPS etc. ), através da corrente desviada para a terra.

Segurança de aterramento

Quando se fala em aterramento, é preciso ter em mente principalmente uma coisa, a segurança! Para fornecer a maior segurança o aterramento deve ter a melhor qualidade possível, para tanto devemos observar a resistividade do solo, uma vez que é por onde a corrente elétrica será escoada através do fio terra. Os tipos de hastes de aterramento e sua disposição no espaço, levando em conta que estes fatores alteram a resistividade e consequentemente a resistência do aterramento.

Resistência de aterramento

Precisamos entender o que compõe a resistência de um aterramento antes de falar das hastes de aterramento propriamente ditas. Entende-se por aterramento a ligação elétrica de um equipamento ou componente de um sistema elétrico à terra, por meio de dispositivos e condutores de eletricidade adequados.

A resistência do aterramento é composta por: Resistência própria do eletrodo e das ligações elétricas ao eletrodo, da resistência de contato entre o eletrodo e a terra adjacente ao mesmo, a resistência da terra circunvizinha, que depende da resistividade do solo e da distribuição da corrente provinda do eletrodo.

A figura abaixo ilustra as resistências citadas acima, onde a haste aterrada representa a resistência própria do eletrodo, a seta onde a corrente toca representa a resistência de contato e o ponto que está “dentro da terra” representa a resistência da terra circunvizinha.

Ilustração da composição da resistência de aterramento.

Composição da resistência de aterramento.

Definição das hastes de aterramento

A NBR-13571 fixa os requisitos mínimos para hastes de aterramento aço-cobreadas e seus acessórios (conector de aterramento e luva de emenda). Pela norma a definição das hastes de aterramento aço-cobreadas é “eletrodo de aterramento constituído por uma barra cilíndrica rígida de aço-cobreado por eletrodeposição”.

Características construtivas

As hastes de aterramento aço-cobreadas e seus acessórios devem ser fabricados com materiais de primeira qualidade que suportem as condições elétricas, mecânicas e químicas-resistência á corrosão, que são submetidos quando instalados.

As hastes de aterramento aço-cobreadas e seus acessórios devem apresentar bom aspecto, no que diz respeito ao acabamento geral, uma haste de aterramento aço-cobreada é constituída por uma barra cilíndrica trefilada de aço-carbono recoberta por uma camada de cobre protetora contra corrosão. A ligação bimetálica aço/cobre das haste e seu núcleo cilíndrico de aço, devem ser pelo processo de eletrodeposição.

Características das hastes de aterramento

Fica evidente a importância das hastes de aterramento (eletrodos) na composição da resistência do aterramento, e obviamente precisa ser levada em conta seu dimensionamento por conta que essa resistência deve ser a menor possível, próxima de zero, afim de garantir uma melhor eficiência do aterramento. As hastes de aterramento normalmente são feitas de uma alma de aço revestida de cobre.

O comprimento da haste de aterramento pode variar entre 1,5m e 4,0m. As hastes de aterramento de 2,5m são as mais utilizadas, pois diminuem o risco de atingirem dutos subterrâneos em sua instalação. A geometria das hastes de aterramento (maneira como estão disponibilizados no espaço) tem influência direta na resistividade do aterramento e na sua resistência. Abaixo podemos conferir alguns dos tipos de disposição de aterramento:

Disposição no espaço das hastes de aterramento.

Geometria das hastes de aterramento.

No vídeo abaixo explicamos o que é um aterramento de forma bem intuitiva, auxiliando assim no aprendizado sobre as hastes de aterramento, uma vez que ambos estão conectados, afim de explicar um pouco mais sobre aterramento elétrico:

A referência absoluta de todo sistema é a terra, o processo de aterramento consiste em colocar todo o sistema referido à terra, por meio de conexões com eletrodos (hastes de aterramento) e condutores elétricos. Após a leitura deste artigo e da visualização deste vídeo esperamos ter contribuído para um amplo entendimento sobre aterramento elétrico e hastes de aterramento. Caso tenha ficado alguma dúvida ou curiosidade sobre o assunto deixe nos comentários que iremos responder.

Aviso legal

Todas as informações obtidas neste site e páginas de redes sociais relacionadas a ele são apenas de caráter INFORMATIVO. O Mundo da Elétrica NÃO se responsabiliza por nenhum dano ou prejuízo causado pela execução de ações relacionadas ou não ao conteúdo descrito aqui. Procure sempre um profissional qualificado, sigas as normas e utilize os equipamentos de proteção para qualquer trabalho que envolva eletricidade.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)