Você sabe o que é um diodo e como ele funciona? Por mais diferente que este termo pareça, é certo que você já viu um diodo e como sabemos disso? Bom, é muito simples! Se você assiste alguma coisa em um monitor de LED ou em um celular com tela de LED, você está literalmente olhando para milhões de diodos! Cada luzinha que acende nos eletrônicos que você tem em sua residência é um diodo emissor de luz, que é popularmente conhecido como LED!

O que é um diodo?

Um diodo é um componente eletrônico que permite a passagem da corrente elétrica somente em um sentido. Uma analogia simples que podemos fazer é comparar um diodo a uma válvula que só deixa a água fluir em um sentido, ou seja, o diodo faz a mesma coisa com a corrente elétrica. Isso fica bem exemplificado na imagem abaixo:

O que é diodo?

Os diodos funcionam como válvulas, permitindo a passagem de corrente em apenas um sentido, respeitando a sua polaridade!

O diodo é um componente com 2 terminais, onde o próprio símbolo esquemático indica qual é a polaridade. Se você observar o símbolo do diodo de perto, será possível visualizar um triângulo que forma uma pequena seta, indicando em que sentido a corrente elétrica é permitida. Nos diodos a corrente flui do anodo para o catodo, assim como mostra a imagem a seguir:

Onde o diodo é usado?

Para identificar a polaridade do diodo é muito simples, a corrente passa do anodo para o catodo!

Qual a funcionalidade dos diodos?

Podemos afirmar que o diodo tem diversas aplicações e uma delas é atuar como um retificador, convertendo tensão alternada em contínua. Mas um diodo não é uma válvula de eletricidade perfeita, ele gasta um pouco de energia para trabalhar e quando a corrente flui através do diodo, alguma potência sempre é dissipada em forma de calor. Isto é percebido através de uma queda de tensão de aproximadamente 0.7V.

Portanto, quanto maior for a corrente, maior será o aquecimento no diodo. Então, sabemos que a queda de tensão pode variar de acordo com a corrente, com a temperatura e com o tipo de diodo também! Mas para facilitar a compreensão desta queda de tensão, vamos dar um exemplo e nele iremos considerar que a queda é sempre de 0.7V.

Para fazer um diodo conduzir eletricidade você precisar colocar pelo menos 0.7V do anodo para o catodo! Com menos que isso, o diodo de silício não é capaz de conduzir eletricidade. Então, se você colocar 5V entre o anodo e catodo de um diodo, haverá corrente passando no diodo e a tensão no diodo será de 0.7V, sobrando 4.3V para o restante do circuito, assim como mostra a imagem a seguir:

Como calcular a queda de tensão no diodo?

Como acontece a queda de tensão no diodo?

Esta queda de tensão de 0.7V pode ser um problema em alguns circuitos e é por isso que existem diodos com características diferentes, inclusive com uma queda de tensão bem menor.

Como escolher um diodo?

Como já foi dito, o diodo dissipa um pouco de calor, ou seja, saber a potência máxima que ele suporta é fundamental para a escolha do diodo adequado. A potência no diodo é calculada multiplicando a queda de tensão no diodo pela corrente que está passando por ele.

Para exemplificar isso, imagine que uma corrente de 500mA esteja passando por um diodo de silício. A queda de tensão típica neste diodo é de 0.7V, logo a potência dissipada será de 0,5A multiplicada por 0,7V, totalizando 0.35W ou 350 mW, assim como mostra a imagem abaixo:

Como escolher um diodo?

A escolha do diodo correto depende de vários fatores, inclusive a queda de tensão!

Pode não parecer muito, mas é uma potência que pode fazer o diodo esquentar bem! Sendo assim, é muito importante saber qual é a corrente máxima que o diodo pode suportar. Esta informação está presente no manual ou no datasheet do diodo.

Posso usar 2 diodos em paralelo?

A resposta é não! A corrente não vai se dividir proporcionalmente entre os diodos como acontece com os resistores, ou seja, não adianta colocar dois diodos em paralelo para suportar mais corrente. O que vai acontecer se você fizer isto, é que um dos diodos vai ser mais rápido e conduzir a corrente primeiro, consequentemente irá receber mais corrente por causa disto.

Outra característica interessante que diferencia os diodos é a velocidade de chaveamento! Cada diodo demora um tempo para “fechar e abrir a válvula” que permite a corrente fluir. Sendo assim, é importante compreender que existem diodos para serem usados em baixa frequência como os que são ligados em pontes retificadoras na rede alternada, e também existem diodos mais rápidos para outras aplicações, que suportam frequências muito maiores.

O que é tensão reversa máxima do diodo?

Esta é uma das características mais importante dos diodos! Voltando a analogia da válvula de água utilizada no primeiro exemplo do artigo, a tensão reversa máxima seria como a máxima pressão que a válvula consegue suportar sem deixar a água vazar!

Assista o vídeo abaixo e nele você vai ver na prática como ocorre o aquecimento no diodo, como testar a polaridade, como determinar qual é a tensão reversa máxima e muitas outras dicas de uma forma bem dinâmica.

A melhor forma de aprender sobre diodos é pesquisar os datasheets de vários modelos e ver quais deles podem ser usados em cada aplicação. Analise bem, pois são dezenas de tipos e classificações de diodos. Além dos diodos de uso geral, os mais comuns são os LEDs, os diodos zener, os diodos de sinal, os diodos de potência, os foto diodos, o diodo laser, o varicap, etc. Enfim, a lista é enorme! Se tiver ficado alguma dúvida deixe nos comentários que teremos o maior prazer em respondê-lo!

Aviso legal

Todas as informações obtidas neste site e páginas de redes sociais relacionadas a ele são apenas de caráter INFORMATIVO. O Mundo da Elétrica NÃO se responsabiliza por nenhum dano ou prejuízo causado pela execução de ações relacionadas ou não ao conteúdo descrito aqui. Procure sempre um profissional qualificado, sigas as normas e utilize os equipamentos de proteção para qualquer trabalho que envolva eletricidade.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)